Tudo de Om!

O estresse e as glândulas supra-renais


Os efeitos, no corpo e na mente, das sensações estressantes estão sendo agora estudados cuidadosamente pelos cientistas, tendo em conta que cada vez mais pessoas, em todo o mundo, adoecem devido ao estresse. Numa situação de estresse, as glândulas supra-renais automaticamente segregam adrenalina e a cortisona, hormônios que ativam todos os órgãos do corpo, preparando-o para situações extremas: lutar ou fugir. Essa resposta instintiva é um legado de nossos antepassados primitivos. Quando nossos ancestrais tinham que enfrentar situações de perigo, eles reagiam com intenso esforço físico até solucionar o confronto, fosse fugindo rapidamente dos predadores, fosse liquidando o inimigo. Mas atualmente os seres humanos não podem correr para longe dos inimigos nem tão pouco podem combatê-lo fisicamente, sujeitando-se a um constante e árduo estresse, ao qual não podem responder com atividade física.
O funcionário que frequentemente é cobrado por seus superiores hierárquicos, o estudante que sofre tremenda pressão de trabalhos e provas, a dona de casa atormentada com os afazeres do dia a dia, todos acumulam intensa pressão interna. Certas emoções, como a raiva, emitem ondas conflitantes para o sistema nervoso, tornando os músculos tensos, a respiração irregular e os punhos cerrados. A pressão sanguínea aumenta, o coração fica acelerado e a digestão se torna mais difícil. E mesmo que a pessoa esteja preparada para reagir com força e vigor, ela não poderá dissipar essa tensão fazendo esforço físico dando pancadas na cabeça do agressor ou fugir, então, essa tensão é normalmente acumulada internamente. As glândulas supra-renais super estimuladas mantêm o corpo e a mente num contínuo estado de alerta e tensão interna e, como resultado, ocorrem estados de melancolia, depressão, neurose e ansiedade, atingindo inclusive os estudantes. Esse estresse prolongado enfraquece o sistema imunológico, diminuindo a resistência às infecções, e frequentemente acarreta vários distúrbios, como a hipertensão, as doenças cardíacas, os problemas intestinais, a úlcera estomacal, a asma, a enxaqueca, a artrite e até mesmo o câncer. Foi constatado que os remédios controladores da tensão têm efeitos colaterais perigosos. Para aliviar o desgaste da tensão interna, precisamos aprender a relaxar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário